sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O Ministro de Dança e o Frevo

"Fazei tudo para a glória de Deus." 1 Coríntios 10:31



O Frevo é a dança mais eletrizante e difícil que conheço. É uma dança onde a técnica do artista é imprescindível, assim como sua capacidade de improvisação. Há também a beleza e a plástica dos movimentos, que, para que exista, é necessária a dedicação do bailarino, com seu corpo em forma, alongado, flexível e forte (os três pilares da dança).

O Frevo, por ser uma dança tipicamente carnavalesca, é abolida pelos ministros de dança em sua maioria. Mas, por que não utilizá-la para louvar, celebrar, jubilar ao Senhor, evangelizar, etc?

Algumas pessoas acreditam que a frase anterior é uma desculpa para crente brincar o carnaval. E não o é. Se o for, é para um número pequeno de pessoas sem compromisso real e sincero com Deus. Mas, vamos por partes.


1. Existe algo que para Deus seja impuro o bastante para que Ele não possa purificar?

2. Existe algum ser com capacidade criadora, que não seja Deus (o Criador do Universo e tudo o que está contido nele, em todas as dimensões - física e espiritual) e o homem, criado à Sua imagem e semelhança, com inteligência e capacidade criadora dada por Ele?

Partindo destes dois pontos, temos que entender que o Frevo não é uma dança pecadora em si, ela não trás em si mesma o pecado ou o fardo do pecado. Quem criou o frevo?

Alguns podem dizer, de maneira completamente insana: o Diabo, através de homens, servos dele.

Ora, o Diabo não tem a capacidade criadora de Deus, e que Deus também deu ao homem. O Diabo tem inteligência e uma incrível capacidade para mentir (Ele é o pai da mentira), por isso ele nos faz acreditar que ele tenha poder para criar alguma coisa, o que não é verdade.

O homem, com a capacidade criadora que Deus lhe deu, com a inteligência que Deus lhe deu, criou e inovou, misturou ritmos, dos quais nasceram vários outros, entre eles, o Frevo. Se os objetivos desses ritmos são para adorar a Deus ou a outros deuses, isso é o objetivo, o fim, mas a dança não carrega esse fardo.

Um exemplo são as carnes, que Deus mandou que o povo não comesse, animais com fendas nas patas seriam considerados impuros, principalmente o porco.

O que Deus diz a Pedro, com base nisto?

"Não chames tu impuro ao que Deus purificou." Atos 10:15.

Deus faz esta mesma analogia com os gentios, que são considerados impuros por não guardarem as tradições e adorarem outros deuses. Deus nos purificou, e por causa disto, temos permissão para adorá-lO, e podemos ser considerados seus filhos. Somos a oliveira brava enxertada na oliveira mansa. Não tínhamos esse direito, mas Jesus nos concedeu.

Ora, se ninguém além de Deus e do homem têm capacidade criadora, e se Deus pode purificar tudo para Sua própria glória, por que não, a dança?

O Frevo é uma dança alegre, vibrante, bela. A beleza pertence a Deus. E também toda honra e toda glória. Se Deus purifica até mesmo carne sacrificada a ídolos, por que não purificaria uma dança oferecida a algum ídolo, para ser usada para Seus propósitos?

O ministro de dança deve ser cauteloso sempre. Deve observar os detalhes, deve se abster da APARÊNCIA DO MAL, portanto, todo cuidado é pouco. Estudar os passos, conhecer a história deles, treinar, usar isso apenas para a glória de Deus, evitar a todo o custo aquilo que poderá escandalizar mas enfrentar, em nome da Palavra, os olhares das pessoas que se assemelham ao olhar de Pedro, pela primeira vez, ao grande lençol com animais considerados impuros, e lutar para que esta visão mude, como a visão de Pedro mudou após a Palavra de Deus.

É a Palavra de Deus que muda tudo, não somos nós. É pela Palavra dEle, sempre, que temos que agir, nunca em desacordo à Sua Palavra.

"Nem por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito." Zacarias 4:6

Mantendo isto em mente, podemos sim, realizar um lindo trabalho na área de ministração com Frevo. E que Deus abençoe todos os ministros, e também os dançarinos de Frevo, para que esta dança se torne, cada vez mais, do Senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário