quarta-feira, 23 de junho de 2010

Decisão do Supremo Concílio - IPB

Olá, amados irmãos.
Já faz algum tempo que o Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil decretou a proibição da dança litúrgica, isto é, a ministração com danças no templo e nos locais de culto. A base para esta decisão é a "falta destas demonstrações no culto solene" em qualquer parte da Bíblia.

Então, vamos aos textos bíblicos, afinal de contas, de que adianta Westminster ou quaisquer outros livros se é a Bíblia quem deve ser nossa regra de fé e prática?

Exortação de Davi
No livro dos Salmos, capítulo 150, nós temos a exortação de Davi. O título do salmo é: "O salmista exorta toda a critatura a louvar ao Senhor" (Revista e Corrigida).

O primeiro versículo é claro:
"Louvai ao Senhor. Louvai a Deus no seu SANTUÁRIO, louvai-o no firmamento do seu poder." (v.1)

Logo no primeiro versículo, Davi já exorta a louvar no Santuário, isto é, no local de culto, ou seja, de ajuntamento solene. No firmamento do seu poder pode tanto significar "em todo o lugar" ou "onde esteja o poder de Deus", ou ainda "nos altos céus, pelos anjos e seres celestes". O que significa que temos que louvá-lo tanto nos locais de culto, quanto em todos os outros lugares, assim como os anjos no céu (local ainda mais sagrado e mais solene que o local de culto humano).

Em seguida, Davi nos diz quais as razões pelas quais nós devemos louvá-lo.

"Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza." (v.2)

E então, Davi nos mostra, na sequência, como nós devemos REALIZAR ESTE LOUVOR.

"Louvai-o com o som de trombeta; louvai-o com saltério e com harpa." (v.3)
Aqui Davi fala de instrumentos melódicos para louvar a Deus. O próprio Davi tocava a harpa e, provavelmente, saltério, por ser um instrumento que tenha a mesma base melódica (é como uma mini-harpa de mesa ou de mão, com uma base de madeira. Veja aqui.)

"Louvai-o com tamborim e dança;" (v.4a)
Aqui o salmista exorta a louvar a Deus usando o tamborim e a dança, assim como Miriã. "Então Miriã, a profetiza, irmã de Arão, tomou o tamboril na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris e com danças." (Êxodo 15:20) Aqui ele não diz: "desde que não seja no santuário". Ora, se lá no início ele diz para louvarmos no Santuário e em todos os lugares, porque ele não especificou o que deveria ser dentro e o que deveria ser fora do tabernáculo?

"Louvai-o com instrumentos de cordas e com órgãos" (v.4b)
Logo em seguida, ele fala dos instrumentos de cordas e dos órgãos, que são muito utilizados no culto solene. Mas esta é a continuação da frase do tamborim e da dança, alusão clara a Miriã. Mas, se não podemos dançar no local de culto, por que poderíamos usar instrumentos de cordas e órgãos? Se estão na mesma frase, e um não pode, por que o outro poderia? Não seria isso "ilógico", para dizer o mínimo? Afirmar que um pode e o outro não é antibíblico, vai contra as Escrituras Sagradas.

"Louvai-o com címbalos sonoros, louvai-o com címbalos altissonantes" (v.5)
Aqui Davi também nos exorta a louvar a Deus com instrumentos de percussão. O que já é outro problema. Bem, ainda não proibiram, mas os instrumentos de percussão não são vistos com bons olhos. Por exemplo: bateria pode, pandeirola pode, ganzá talvez, tambor depende, atabaque nem  pensar, etc. Não vou discutir sobre isso, pois não é a minha intenção com este post.

"Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor." (v.6)
Os defensores da nova lei na IPB também utilizam este versículo. Ora, se tudo o que tem fôlego louve ao Senhor, e o salmista fala do ajuntamento solene, vamos colocar vacas, cachorros, patos dentro do templo pois eles também têm que louvar ao Senhor, por respirarem.
O versículo nos mostra que todos devemos louvar ao Senhor, inclusive os animais e as plantas, pois todos eles respiram. O versículo é uma finalização do salmo. Davi nos exortou a louvar em todos os lugares e no Santuário, Davi nos disse como louvar a Deus e finaliza dizendo que todos devemos louvar, assim como os outros seres louvam ao Senhor, mesmo não tendo o Fôlego de Vida que Deus deu a Adão, soprando em suas narinas quando o criou. O salmista utiliza-se de uma hipérbole (claramente) para nos exortar. Ora, se todos louvam, quanto mais nós!

Se o salmo 150 não pode ser usado como modelo de louvor no ajuntamento solene, então não só uma parte dele não pode ser usada: todo ele não pode ser usado. Se louvar ao Senhor com danças é "baderna", como dizem alguns, então neste caso louvar ao Senhor com trombeta, com saltério e harpa, com instrumentos de corda e com órgãos também o são.

O próprio salmista dançou diante da Arca da Aliança, para adorar ao Senhor pela vitória:
"Davi dançava com todas as suas forças diante do Senhor, e estava Davi cingido de uma estola sacerdotal." II Samuel 6:14

Alguns dizem que esta dança de Davi era para zombar dos seus adversários. A Bíblia é clara: Davi não dançou diante de seus adversários. Ele dançou diante do Senhor, portanto era um ato solene.
Ora, de maneira nenhuma Davi seria sarcástico e agiria com zombaria diante da Arca da Aliança, que exigia tamanho respeito. Deus feria de morte quem desrespeitasse a Arca, quem sequer a tocasse sem ser digno. Quanto mais, fazer "baderna" diante dela!

Davi também estava preparado para dançar. Ele não estava simplesmente zombando, pois estava vestido com uma "estola sacerdotal". Ele tinha vestes específicas para louvar a Deus com sua dança.

Alguns também dizem que essa dança de Davi nem era realmente considerada uma dança solene, de adoração ao Senhor, e defendem que nem mesmo música havia, defendendo a idéia da dança como zombaria aos inimigos. Neste caso, gostaria de destacar aqui os versículos 14 e 15, de II Samuel 6:

"Davi dançava com todas as suas forças diante do Senhor; e estava cingido de uma estola sacerdotal de linho. Assim, Davi, com todo o Israel, fez subir a arca do Senhor, com júbilo e ao som de trombetas."

Quando Davi recuperou a Arca da Aliança, e ele voltava com ela para Jerusalém, Uzá estendeu sua mão sobre ela e Deus o feriu de morte (v.6 e 7). Então Davi temeu ao Senhor dizendo: "Como virá a mim a arca do Senhor?" Davi deixou a arca na casa de Obede-Edom por três meses, e o Senhor abençoou sua casa (v.11). E o que fez Davi?

Preparou o retorno da Arca, de forma solene, para que ele não fosse ferido de morte, assim como Uzá. A cada seis passos dos carregadores da arca, Davi sacrificava bois e carneiros ao Senhor. Ele estava vestido com a estola sacerdotal e DANÇAVA PERANTE O SENHOR. A sua dança era uma dança LITÚRGICA, fazia parte do CULTO AO SENHOR, embora o culto não fosse no TABERNÁCULO, mas era no CAMINHO PARA ESTE, e era SOLENE. (v.13 e 14)

É claro, sempre haverá pessoas para zombar dos que fazem a obra do Senhor. Davi, que era "segundo o coração de Deus", ao dançar para o Senhor também foi zombado. Mical, filha de Saul, que não participava da solenidade, olhou de sua janela e desprezou Davi em seu coração. E depois, quando Davi veio a sua casa para ABENÇOAR, ela lhe zombou. E o que Davi fez?

"Perante o Senhor, que me escolheu a mim antes do que a teu pai e a toda a sua casa, mandando-me que fosse chefe sobre o povo do Senhor, sobre Israel, perante o Senhor tenho me alegrado. Ainda mais desprezível me farei e me humilharei aos meus olhos; quanto às servas de quem falaste, delas serei honrado." (v.21)

Esta foi a resposta de Davi a Mical, e foi resposta de Deus. Mical foi castigada pelo seu erro, por julgar, desprezar e zombar especificamente da dança de Davi.

"Mical, filha de Saul não teve filhos, até o dia da sua morte." (v.23)


Há outra coisa a ser considerada.

A Igreja Primitiva.

Vejamos Atos 2:41-47.
Gostaria de destacar os versículos 44 e 45:
"E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister."

Bem, por que não se cria uma lei onde todos os presbiterianos devessem vender suas propriedades e doar tudo para a Igreja, onde fosse repartido entre os irmãos conforme tenham necessidade? As pessoas viveriam muito melhor, sem dívidas, todos comendo e bebendo, todos vestindo, não haveria tanta desigualdade social na própria Igreja Presbiteriana, como Igrejas de elite e Igrejas de bairros mais pobres, pois todos seriam iguais. Não seria perfeito? E isso não seria utopia, afinal de contas, a Igreja Primitiva, que deve ser nossa Igreja-Modelo, não conseguia este feito? Não vivia ela desta forma? Não é justamente o fato de não haver menção de danças na Igreja Primitiva o que impulsionou a criação da lei? Por que criar uma lei com base no que não está escrito, e não criar uma lei com base no que ESTÁ ESCRITO?

Vejamos agora um relato de Jesus, descrito no Livro de Lucas, capítulo 18.
"Dois homens subiram ao templo para orar; um fariseu, e o outro, publicano." (v. 10)
Jesus descreve a oração de cada um deles. O fariseu orava bonito, mas desprezava o publicano. Com certeza o fariseu sabia como orar no templo, de forma solene. Mas a oração do publicano foi somente esta:
"O publicano, porém, estando de pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!" (v. 13)
E então Jesus finaliza que o publicano saiu de lá justificado, ao invés do fariseu.

Podemos tirar muitas lições desse texto. Como devemos orar; os humilhados serão exaltados; etc. Mas, principalmente, que não adianta nós sermos tão solenes, se o nosso coração não o é. A oração do publicano foi uma oração simples, mas seu coração estava contrito, e Jesus viu isso.

Os defensores da nova lei também afirmam que não há menção no Novo Testamento de danças no ajuntamento solene. Ora, o que há no Velho Testamento é revogado pelo Novo Testamento? O Senhor Jesus diz: "Não vim para revogar a Lei, mas, sim, para cumpri-la." (Mateus 5:17b) E ainda assim ele era alvo de críticas, pois se adaptava a algumas situações, sem hipocrisia, como curar no dia de sábado. Ora, se era para seguir à risca, por que Jesus não deixou para curar na segunda-feira, ou no domingo? Por que Jesus curou no sábado? E ainda repreendeu os que falavam?

E, para finalizar, o que é solenidade?

"Formalidades que tornam importante um fato. Ênfase, afetação de gravidade majestosa." (Dicionário)

O conceito de solenidade é subjetivo, visto que o conjunto de "formalidades" que tornam um fato ou um evento importante, ou a ênfase, a gravidade majestosa, tudo isso, todas essas formalidades dependem da cultura em que elas são empregadas.

Por exemplo: o que é formalidade para um europeu não é formalidade para um aborígene australiano, ou para um índio brasileiro, ou um africano, ou um norte-americano. Um culto solene católico não é igual ao culto solene episcopal, que difere do ajuntamento solene espírita, do ajuntamento solene no candomblé, do ajuntamento solene esotérico, do ajuntamento solene budista, hinduísta, enfim. Milhares de religiões.

Da mesma forma, o ajuntamento solene cristão/evangélico brasileiro difere do ajuntamento solene cristão/evangélico europeu.

Da mesma forma, o ajuntamento solene da Igreja Primitiva difere do ajuntamento solene da Igreja Romana, na época de Calvino, que trazia mais para o "formato europeu".

Quando o órgão foi inserido no culto, foi um escândalo. Então, ele se tornou um símbolo de formalidade e solenidade. Da mesma forma que foi um escândalo a inserção da guitarra no culto. Até que ela se tornou uma parte imprescindível no louvor da igreja. E o que dizer da dança, que existe desde a época de Moisés?

Por que nossos cultos têm hora para acabar? Não ficou Paulo estendendo-se a noite toda para falar aos seus irmãos na igreja? Prender o culto em um horário não seria fora da "solenidade"? Por que não moramos na Igreja, como os cristãos de Atos dos Apóstolos?


Por que tanta hipocrisia? Por que perder tempo, fazendo reuniões para proibições na Igreja, quando deveríamos ajudar os mais necessitados? Existem pessoas se convertendo ao serem ministradas pela Palavra do Senhor através da dança litúrgica. A dança litúrgica não é um enfeite de culto, e sim, um canal de adoração, assim como a música litúrgica, assim como a oração de louvor.

E vamos deixar de acusar os irmãos que não concordam com a atitude da IPB de "rebeldes", quando há arbitrarismo nas decisões que vem de cima. O que dizer dos cristãos que, apesar de serem proibidos de cultuar ao Senhor, continuam a fazê-lo, às escondidas? Deveríamos chamá-los de rebeldes, por estarem desobedecendo uma autoridade, quando "toda a autoridade vem do Senhor"? "Cada qual seja submisso às autoridades constituídas, porque não há autoridade que não venha de Deus; as que existem foram instituídas por Deus. Assim, aquele que resiste à autoridade, opõe-se à ordem estabelecida por Deus; e os que a ela se opõem, atraem sobre si a condenação." Rm 13:1-2

Os cristãos de Beréia antes de aceitar as pregações e exortações dos que estavam à frente, sempre observavam as Escrituras Sagradas antes. Essa é a atitude que Jesus nos exorta a ter. Antes de aceitar o que as nossas autoridades determinam, devemos buscar nas Escrituras se essas determinações procedem. No mais, a Escritura deve permanecer acima de qualquer determinação. E o que passar das Escrituras, "seja anátema".

Vamos deixar a hipocrisia e o puro preconceito de lado e vamos olhar para a Bíblia, e para Deus.

SOLA SCRIPTURA! SOLI DEO GLORIA!

7 comentários:

  1. Paz do Senhor amada! Li o seu artigo sobre a proibição da dança e achei muito bom.
    O que acontece é que a ignorancia das pessoas não deixa que elas encherguem a verdadeira adoração. Pq sabemos que a dança tbm é feita pra louvar ao Senhor e quem roubou foi satanás, mas nós estamos pegando de volta o que é nosso, se no mundo as pessoas adoram a satanás com danças, para Deus tem que ser melhor ainda. Parabéns pelo blog. Que Deus continue abençoando vc e seu ministério, que cresça cada vez mais o dom que o Sr. Jesus lhe deu.

    ResponderExcluir
  2. ndressa
    Glória a Deus pela sua mensagem. Que Deus esteja também abençoando seu ministério, que você inclua em suas orações o nosso ministério, pois nós sabemos que "árvore que não dá frutos não leva pedrada" (dito popular). Então, se levamos pedradas é porque estamos dando frutos, não é? Davi dançou diante do Senhor e ainda assim, Mical, filha de Saul, que não partilhou da adoração (estava em casa, na janela), desprezou-o em seu coração. É claro que vamos encontrar muitos "Micals" por aí. Que Deus esteja ao nosso lado, nos protegendo e nos honrando. Em nome de Jesus!

    ResponderExcluir
  3. A paz do senhor jesus querida..
    amei seu mensagem,nossa foi profundo.tudo que vc falou é a mais pura verdade, e nao poderia nao ser pois tudo que voce falou esta na biblia.
    Deus continui te abençoando

    ResponderExcluir
  4. Glória a Deus por isso, JT. Deus tem me abençoado muito com este blog, e espero que ele sirva para abençoar muitas e muitas outras pessoas. Deus te abençoe também.

    ResponderExcluir
  5. Pois é, vamos ver. Mas eu, sinceramente, espero que chegue numa unidade da IPB, numa compreensão do louvor por completo, dentro dos limites da "ordem e decência". Tudo deve ser feito com ordem e decência no culto racional. Ninguém quer nada além disso. Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  6. Débora Deus te abençoe rica e abundantemente achei maravilhoso os seus posts porém esse em especial. Pois você esclarece que a dança nas igrejas não foi uma idéia de quem queria aparecer mas de alguém queria agradecer e adorar a Deus não apenas com sua voz ou instrumentos musicais porém com tudo que tinha. Muitas pessoas não tem a dança como instrumento de adoração não a vê como um ministério.Porém sabemos que Deus não só recebe a adoração através da dança mas também a usa como um canal de benção na nossas vidas e na vida de nossos irmãos. Infelizmente muitas pessoas não reconhecem isso...mas ainda assim eu glorifico a Deus pois como dizem "Se a árvore não estivesse proporcionando frutos não receberia pedradas". Que Deus possa continuar te usando cada dia mais.Beijos e fique na Paz!!!

    ResponderExcluir