quinta-feira, 19 de maio de 2011

Sapatilha de ponta e a falta de preparo

O sonho de toda bailarina é subir nas pontas. Principalmente quando não tivemos a oportunidade de ter aulas de ballet quando crianças ou essas aulas tiveram que ser interrompidas por algum motivo, antes de subir nas pontas. Às vezes é frustrante querer usar as sapatilhas e não poder.



Muitas vezes, isto leva à bailarina ou, principalmente, ministra de dança, comprar as sapatilhas por conta própria, fazendo treinamento sozinha, em casa, sem qualquer supervisão.

Uma atitude que pode gerar lesões graves e, em alguns casos, até permanentes, pela falta de técnica no uso das pontas. Subir nas pontas chega a ser fácil na concepção do inexperiente, já que as sapatilhas têm um revestimento de gesso, que possibilita à bailarina ficar nas pontas com estabilidade. Mas, o maior problema é: seus pés estão prontos para estar nesta posição? Seus tornozelos são fortes e flexíveis o suficiente para manter esta posição, sem causar nenhum dano, como torções, luxações, lesões etc? Seus pés estão trabalhados o suficiente para ficarem na posição correta? Todo o seu corpo está preparado para colocar o peso e o equilíbrio necessários nas pontas?

Lembre-se: Seus pés vão ficar numa posição incomum, sustentando todo o seu peso e seu corpo, no dedão e nos dedos subsequentes. Seus pés estão prontos para isso?


Como este blog se destina a ajudar os ministros de dança em todas as suas dúvidas, dando dicas, informações, e também, ajudá-los como um cantinho ministerial, com mensagens de ânimo, força, coragem e conteúdo bíblico, eu jamais poderia deixar de falar sobre algo assim. Em posts anteriores, compartilhamos sobre sapatilhas de ponta, uso correto, exercícios para os pés, riscos de subir nas pontas, mas este é um estudo específico sobre isso, e destina-se a todas as ministras de dança, e também bailarinas, que iniciaram seus treinamentos em idade avançada, e têm o desejo de subir nas pontas. Este post também faz parte de um estudo para palestras específicas para ministros e grupos de dança nas igrejas. Clique em "continue lendo" abaixo para ler o post completo.

Que Deus os abençoe ricamente.




Antes de subir nas pontas, é necessário, EXTREMAMENTE, trabalhar os pés, para que eles fiquem nesta posição, da foto acima. Como você pode ver, os pés não ficam RETOS. O pé possui uma curvatura na altura do peito, que se chama COLO DE PÉ. Você percebe também esta curvatura quando o pé está an dehors. Veja o pé que está de lado. Ele tem uma natural curvatura na planta do pé.

1. Alongamento de Tendões e Músculos do Pé

Para se adquirir um pé como este, é preciso trabalho de exercícios, de muito tempo. Para quem começa as aulas quando criança, é mais fácil, pois naturalmente nascemos com os nossos músculos e tendões devidamente alongados. O trabalho com as crianças evita que, durante o crescimento, se perca este alongamento. Para os que começam o trabalho com idade mais avançada, é preciso entender que vai se fazer um trabalho prolongado, para readquirir esse alongamento perdido com os anos. Por isso, a primeira coisa que o iniciante deve compreender é: PACIÊNCIA. PERSEVERANÇA. São palavras que devem estar constantemente na mente do iniciante. E, para quem deseja trabalhar isto para o Reino de Deus, MUITA ORAÇÃO E FÉ.

Mas veja: um pé alongado não é o suficiente.


2. Flexibilidade de Tornozelos

Os tornozelos devem ser flexíveis. O que isto quer dizer? Durante o trabalho com pontas, se faz muitos movimentos de relevé, onde se sobe constantemente nas pontas e se desce também. Há movimentos de saltos, em que assim que os pés saem do chão, precisam estar devidamente esticados, e prontos para voltarem ao chão, começando pelas pontas, meia-ponta e planta do pé no chão. Todos esses movimentos exigem um tornozelo flexível, ou ele não aguentará.

Para se ter um tornozelo flexível, antes de tudo é trabalhar o alongamento. E trabalhar esses movimentos: ponta, meia-ponta, flex, meia-ponta, ponta, etc... Esses exercícios são feitos nas escolas de ballet, com variáveis, para as aulas de barra e centro de sala. O bailarino, com o tempo, vai adquirindo flexibilidade nos tornozelos, para que eles, estando alongados, também possam, devidamente, suportar tanta mobilização.

Mas um pé alongado e tornozelo flexível também não são suficientes. É preciso uma terceira coisa.


3. Força nos pés e tornozelos

Um pé fraco não suportará o peso do corpo, nem tanta movimentação em seus músculos. Você pode ter um alongamento invejável, uma ponta linda, com colo de pé avantajado, um tornozelo flexível, mas se os músculos do seu pé, e os que circundam o tornozelo forem fracos, quando você ficar na ponta, a flexibilidade de seu tornozelo poderá até mesmo ser um problema, causando torções e lesões, às vezes irreversíveis.

 É preciso fortalecer os tornozelos, os músculos, além de alongá-los, para que possam suportar. Muitas bailarinas, com todo o trabalho que têm em salas de aula, ainda assim desenvolvem problemas, como tendinite, por causa do esforço que fazem.

Observe essa imagem:


Essa foto mostra uma sala de aula de iniciantes adultas no ballet, que estão iniciando seus trabalhos na ponta. Observe os pés da segunda aluna na fila. Agora, observe os pés desta foto, mostrando os pés de uma bailarina preparada para usar as pontas:


Os pés estão basicamente na mesma posição. Você pode observar as diferenças? A pessoa que sobe nas pontas sem o pé estar preparado para tal, fica na posição dos pés da iniciante, da primeira foto. O colo do pé e o tornozelo estão alinhados com os joelhos na segunda foto, não importa se os pés estão afastados ou não. Veja a curvatura do colo do pé, à medida que os pés se afastam. Esta é a posição correta dos pés na ponta, ao contrário da foto anterior.


Os pés de uma bailarina têm sua beleza própria. Às vezes escutamos que os pés de bailarina são feios, por causa de formação de calos, joanetes, entre outras coisas. Mas um pé bem cuidado, ele é belo, em sua própria forma.

Olhe este pé na ponta, sem a sapatilha.


Observe o colo do pé arredondado, a curvatura da planta do pé em relação ao calcanhar e os dedos do pé. Para ter uma boa ponta, tem que alinhar o dedão do pé e o tornozelo, numa linha reta com o joelho.


Este é um raio-x de uma bailarina nas pontas. Como na foto anterior, você pode observar a posição de seu calcanhar e o resto dos ossos do pé. Para manter o pé nesta posição, é preciso fortalecer os músculos do pé.


Veja algumas lesões que podem ocorrer pelo mau uso da sapatilha de ponta:

[Adriana Coutinho de Azevedo Guimarães
Joseani Paulini Neves Simas]

"O uso das sapatilhas de ponta, quando iniciado cedo demais, força a estrutura muscular, os tendões e os ligamentos, ocasionando problemas ortopédicos graves, como pé chato, no qual não se desenvolve a curvatura, deixando os ligamentos frouxos, criando hérnias da cápsula articular nos ligamentos das articulações ósseas e calosidades.

Certas tendências e formações imperceptíveis inicialmente podem se agravar, como problemas de coluna, observados nas posturas quase sempre erradas. Várias são as bailarinas com joanetes, calos e com problemas nos joelhos. Podem surgir joelhos elásticos ou para trás, em consequência de ligamentos distendidos. Outras deformações ainda podem advir do uso precoce de pontas, com os pés em garra, ou seja, com os dedos encolhidos, como sugere o nome."


Pés em garra

Joanetes

"O trabalho nas pontas faz com que os dois primeiros metatarsos suportem a maior parte do peso corporal. Consequentemente, quando as bailarinas aprendem a dançar nas pontas dos pés, esses ossos começam a sofrer processos de remodelagem, de forma que a cortical do primeiro e do segundo raio torna-se muito mais espessa que nas pessoas que não dançam. Durante o treinamento, e até mesmo através da carreira, esses ossos, em particular o segundo raio, correm o risco de sofrer uma fratura por estresse.

A manifestação habitual é aquela com início gradual de dor na base do segundo metatarso, que, no início, aumenta com o trabalho na ponta dos pés, e costuma ser seguida por dor ao adotar a posição de meia-ponta. Se não for tratada, a dor pode manifestar-se até mesmo no andar. Se forem excluídas insuficiências dietéticas e se a gordura corporal parece estar dentro dos limites de uma boa saúde, o tratamento consiste em repouso em relação às atividades agravantes, ao mesmo tempo que a força é mantida com exercícios que não produzem dor.

Como os sapatos para o trabalho de ponta são bem mais rígidos e mais estreitos que os sapatos de meia ponta, a realização de tração sobre o assoalho é mais difícil até mesmo quando os pés estão totalmente em contato com a superfície. A falta de força no pé e no tornozelo pode resultar em entorses agudas do tornozelo ou lesões por uso excessivo, tais como tendinite peroneira, tendinite do tendão de Aquiles, e tendinite tibial posterior.

Na dança, a maioria das lesões deve-se a erros de técnica e de treinamento."


Praticamente, todas as escolas de ballet aceitam iniciantes adultos, onde você poderá ter aulas, fazer os treinamentos além de aprender os fundamentos do ballet. Você aprenderá a ter mais disciplina, e isso fará bem para você. Converse com o profissional, informe seu desejo de trabalhar para subir nas pontas. Ele fará uma avaliação em seu corpo, observará você em seus exercícios, e trabalhará para isso. Mas, não faça, em hipótese alguma, por conta própria. Você não tem o conhecimento necessário para fazê-lo e isso poderá trazer sérios danos à sua saúde.


As aulas de ballet trazem uma série de exercícios para auxiliá-la a subir nas pontas. Fortalecimento dos pés e seus músculos, flexibilidade dos tornozelos e alongamento de tendões e músculos, fora os demais exercícios para o corpo todo. Lembre-se, o ballet não está nos pés, está em todo o corpo. Não adianta ter um pé preparado se não há a postura correta.


A beleza do ballet está na forma perfeita, em que a impressão que se tem é que a bailarina não faz esforço algum, não tem quase peso, e pode até mesmo voar, leve como uma pluma. Mas, para dar esta impressão etérea, é preciso muito trabalho. Só mesmo a bailarina sabe a quantidade de força que coloca em seu corpo, nos músculos certos, para que uma perna se erga suavemente, como se não tivesse peso algum. Só uma bailarina sabe o quanto seu pé sofre para ficar na ponta, e seu corpo se equilibra para manter esta pose, como se não pesasse nada.

Um professor, uma escola de ballet, são coisas extremamente necessárias para quem deseja subir nas pontas. Não compre uma sapatilha de ponta sem consultar um professor, sem estar em treinamento com um professor. Isso poderá causar sérios danos a você. Até mesmo pela compra errada das sapatilhas, bem como seu mau uso.


Se você já usa as sapatilhas, por conta própria, procure imediatamente um médico ortopedista para avaliar seus pés. Procure um podólogo para resolver alguns problemas, como calosidades, unhas encravadas, etc.  E procure uma escola de ballet, informe que você começou a utilizar as sapatilhas por conta própria e que seu desejo é obter treinamento para usá-las. Aqui mesmo no blog fiz uma coletânia, para quem mora em Recife-PE, de escolas de ballet com endereços, telefones e valor de mensalidade. Vale à pena conferir.


O ballet é uma dança linda, e é maravilhosa para adorar ao Senhor. Mas ela só é linda quando é feita da maneira correta, com todas as suas regras e técnicas, para se conservar a saúde do corpo e ter uma bela performance, sem deixar nada a desejar, evitando lesões entre outras coisas.

Eu já falei aqui no blog e repito: o nosso corpo é templo do Espírito Santo, não pode ser usado de qualquer jeito. E isto inclui cuidar de nossa saúde. O Espírito Santo não trabalhará com sua dança enquanto você estiver quebrando as regras que Ele mesmo fez quando nos criou: as regras de limites corpóreos. Nós temos que respeitar nossos próprios limites e observar a maneira correta de fazer as coisas. É dessa forma que Deus nos aprova.

Somos ministros e temos obrigação de levar esta informação a todos os nossos liderados. E, é claro, temos obrigação de seguir essas orientações também. É mais que importante: é nossa obrigação como cristãos.

Não devemos deixar as coisas separadas.

O que o ballet nos ensina é: TER PERSEVERANÇA E PACIÊNCIA. Prove que tu mereces isto. Seja perseverante, não desista. E tenha paciência. No tempo certo, com os treinamentos necessários, você chegará lá.

Deus te abençoe.



"Porque dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas.
Glória, pois, a Ele eternamente."
Romanos 11:36

26 comentários:

  1. Lindo Post! Adorava que a minha mae me tivesse inscrito no ballet quanto era mais nova. Acho uma dança lindíssima e adorava experimentar mas creio que agora, com 19 anos, isso nunca vai acontecer pq sou mt propícia a fazer entorses nos tornozelos. Inclusivé estou agora em fisioterapia pq fiz rompimento de ligamentos só por ter descido um degrau (que desastrada -.-'). Mas pronto contento me a ver espectáculos e quando tiver uma filha é no ballet que a vou por!

    Felicidades

    ResponderExcluir
  2. Olá, Sarah. Nunca é tarde, viu? Eu comecei aos 28 anos, estou com quase trinta e muito feliz, já dançando nas pontas com autorização da minha professora de ballet. Faça suas fisioterapias e, quando terminar, procure uma professora de ballet, explique seu caso. E você terá que ser paciente e esperar pelo seu tempo. Cada pessoa é diferente, cada corpo é diferente. É preciso respeitar os limites do próprio corpo e ser paciente. Nem sempre queremos isso não é mesmo? Mas Deus vai te abençoar. Você ainda é muito jovem!

    ResponderExcluir
  3. Lindo amei!eu tenho 15 anos e quero atrair os olhos do Senhor Jesus com a minha dança,mas eu fiz ballet quando tinha penas 5 anos e não me lembro de mais nada e quero muito fazer aula de ballet mas não tenho tempo,então você poderia passar algumas instruções de alongamentos simples pra cria mais flexibilidade!Desde ja te agradeço fique na paz do Senhor

    ResponderExcluir
  4. que bom poder contar com irmas preciosas como vc para nos dar essas dicas maravilhosas tenho 35 anos s sonho fazer ponta e com persistencia e sua ajuda farei e te mandarei um video comemorando isso rss beijos amada

    ResponderExcluir
  5. Adolescente Cristão e Dança com Deus:

    Deus tem um plano na vida de vocês, não importa a idade. Um com quinze, a outra com trinta e cinco, mas Deus tem um chamado, e capacitará os chamados. Veja que coisa maravilhosa: capacitar os chamados ao invés de chamar os capacitados. Ele prova que te chamou através da capacitação milagrosa. Vocês devem fazer a parte de vocês, que é buscar informações, treinos, exercícios, profissional na área (professor, bailarino, escola especializada) para que possam fazer o melhor para o Senhor. A parte em que vocês não podem fazer nada, que é adaptar o corpo de vocês, é com Deus. Jesus fez o milagre de ressuscitar Lázaro, mas Ele não removeu a pedra, Ele esperou que os presentes a tirassem. A gente sempre tem algo a fazer para que Deus realize seu milagre. Pensem nisso!

    ResponderExcluir
  6. Fiz ballet quando criança, infelizmente, precisei parar e até agora com 23 anos, ainda não consegui retornar. Amo a dança, nunca deixei os alongamentos e sempre que posso coloco a sapatilha de meia ponta pra matar a saudade com alguns pliés. Ainda vou conseguir retornar, quando as coisas estiverem menos difíceis. Tenho certeza de que ainda louvarei ao Senhor sobre as pontas. Mas o motivo de escrever não é sobre mim. Minha filhinha tem 3 anos, adora dançar. No momento do louvor na igreja ela adora ao Senhor dançando. Por duas vezes, as obreiras mandaram que ela ficasse quieta e parasse porque estava atrapalhando ¬¬"
    Como eu estava ministrando no altar, não pude fazer nada na hora. Não sei como lidar com esta situação. Agora ela me diz que dançar na igreja é feio e eu não consigo mudar esse conceito na cabecinha dela. O ministério infantil está longe de ser o forte na igreja que congrego. As crianças têm pouca ou nenhuma oportunidade de participar do culto, e nem mesmo louvar dançando elas podem? Como fazer agora? Não quero parecer grossa ou rebelde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiz uma postagem no blog só sobre seu comentário. Deus te abençoe.

      Excluir
  7. Adorei esse blog me ajudou muito a ter paciencia para poder usar as minhas sonhadas sapatilhas de pontas
    tbm sou de prenambuco e pretendo ter aulas de ballet em recife moro em feira nova
    e muito obrigada
    BEIJOS!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom ver alguém de Pernambuco por aqui! Deus te abençoe muito! Participe do Seminário que vamos ter em Abril!

      Excluir
  8. Gostei muito, eu quero muuuito voltar a fazer Ballet, começei a fazer com 7 anos na Bahia, com 10 decidi fazer o Jazz, com 11 parei, e agora com 13 estou morando em São Paulo e a diferença de preço é pouca mas a minha mãe acha caro então.. )': e tenho uma dúvida, será que dá para eu voltar a ter a flexibilidade de antes ? a minha amiga com 1 ano de ballet já vai para a Ponta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que dá. Tenho uma boa notícia: Os músculos tem memória. Quando você faz um exercício regularmente, e depois acaba parando, quando você volta é mais fácil readquirir a forma anterior, porque seu músculo "se lembra" de como era a rotina e volta a se adaptar àquela fase. Deus te abençoe.

      Excluir
  9. Oie,eu fiz ballet quando eu tinha 8 anos numa escola particular mais só o básico mais eu sair da escola,ai até agora eu lembro oque eu aprendi gostei muito de fazer ballet mais agora eu tenho 13 anos e minha mãe fala que é só quando é bem pequeninha que faz ballet,amei muito fazer ballet naquela epoca Bjss Laura

    ResponderExcluir
  10. Claro que não! Adultos também fazem ballet e se saem muito bem. Um exemplo é Gisela Matos (procurem o blog da Gisela e o site dos Profetas da Dança). Ela começou bem tarde e superou suas colegas de turma do ballet, que começaram na infância. Basta ter 3 coisas: dedicação, perseverança e paciência. Sem elas, você não chegará a lugar nenhum. COm elas, você vai mais longe que qualquer um. Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  11. Olá Débora,
    Ballet sempre foi um sonho meu de infância, mas por motivos maiores nunca cheguei a fazer. Sempre fui apaixonada pela dança e fiz algumas coisas como aeróbica e Pilates.
    Tenho 29 anos, sou recém mamã de um bebé de quase 9 meses e sou Portuguesa.
    Recentemente uma pessoa que fez ballet muitos anos disse-me que tenho o biotipo de bailarina de dança clássica e, conversa puxa conversa, ela recomendou-me uma escola que dá aulas para adultos. E hoje mesmo vou à minha primeira aula. Estou super, super entusiasmada e sinto que é o concretizar de um sonho - ainda que saiba que nunca serei uma bailarina profissional. Mas paixão e dedicação tenho!
    A minha dúvida é, é possível começando assim tão tarde subir nas pontas? E se sim, qual o tempo médio para isso acontecer... e claro, quantas aulas por semana deverei fazer? Isto porque tenho um bebé que também exige de mim.
    Um grande beijinho e desde já o meu muito obrigada :D

    ResponderExcluir
  12. Olá Débora! Não tenho certeza se você verá esta pergunta, mas não custa tentar.

    Eu fiz ballet quando tinha cinco anos, mas por 1 ano apenas.
    No entanto, minha infância e adolescência foi toda preenchida com esportes e atividades físicas. Por isso, acredito ter um porte atlético.
    Depois de anos sem praticar nada, decidi que precisava sair da ociosidade e, aos 23 anos, escolhi o ballet (minha paixão antiga) como atividade física.
    Em janeiro deste ano, ou seja, a cinco meses eu comecei a treinar. Para minha surpresa, a professora me falou a alguns dias que eu já posso começar a treinar ponta.

    A pergunta é: É possível que em tão pouco tempo eu esteja, realmente, pronta para começar a usar sapatilhas de ponta??

    P.S. Adoro o seu blog! Antes de começar no ballet, sempre vinha aqui em busca de informações.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Su, tudo bem? Isso é ótimo! Eu comecei aos 28 no ballet clássico, embora sempre tenha gostado de dança. Nunca é tarde para começar irmã!!! Claro, você vai precisar de muita perseverança e paciência, pois seu filho vem em primeiro lugar tá? Mas isso é super legal!!! Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  14. Marcela, com certeza. Não há problema nisso não. Se sua professora viu que seus pés e seu corpo estão prontos, vá com fé. Sempre seguindo as orientações dela. Os problemas ocorrem quando há a utilização sem acompanhamento, por conta própria. Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  15. Muito lindo o post. Parabens. Me informou muito. Eu amo o ballet e ja faço a um bom tempo e chegou a hora de passar pras pontas com autorizaçao da minha professora. Bom... Tenho 1,71 e nunca gostei pelo fato de ser tao alta. Sempre tive vergonha. Quando subo nas pontas fico mais alta ainda e acho muito feio pois todas as menina da academia sao baixas. Me sinto mal ;(

    ResponderExcluir
  16. Oi Débora, meu nome é Fernanda e tenho 15 anos.
    Desde pequena faço ballet no colégio que estudo, mas por conta do horário tive que parar, mas ai eu me converti na Igreja Evangélica Congregacional de Afogados (Recife-PE) e lá tem um ministério de dança, Grupo Adoradoras e nele eu louvo ao Senhor com o ballet, eu e mais duas amigas fazemos ponta.
    Quando te vi no youtube, me encantei, principalmente por você ser daqui de Recife, e eu gostaria muuuuuuito de entrar em contato com você.
    e-mail: nanda.accioly@hotmail.com

    ResponderExcluir
  17. Bom dia....oi Debora, preciso de orientação...minha filha tem 13 anos recem completado, ela faz ballet desde o ano passado e este ano começou a usar sapatilha de ponta, só que ela não esta conseguindo, não consegui segurar o peso do corpo nós pés, ela esta usando colete milwakee para problema na coluna e o medico liberou somente para fazer uma hora de dança...ela faz ballet tres vezes na semana, ela esta desanimada por não conseguir ficar na ponta e ao mesmo tempo ela é persistente e não desistir, vc como profissional acha que ela deve continuar tentando ou parar.....queria muito saber de um profissional, ela faz dança por lazer...não tem sonho de ser profissional...fico preocupada em deixar ela insistir e isso trazer problemas futuros...se vc puder responder ficarei muito grata...abraços Rosi meu email é rosivalotta@hotmail.com

    ResponderExcluir
  18. oi comecei a fazer ballet agora ja na fase adulta! na realidade,é recente pois so tenho 4 meses de aula e ja estou usando ponta isso poderia me causa algum dano.pois as vezes sinto que não tenho a preparação fisica correta pois sinto fraqueza nas pernas o que vc pode me aconselhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A melhor coisa é você conversar com sua professora de ballet e pedir que ela lhe observe durante as aulas, pergunte se a posição dos seus pés está correta, se você está realizando os exercícios corretamente, e explane o que você está sentindo, afinal, são seus pés e seu corpo, no fim das contas, o problema é seu, não é? então, corra atrás. No início, os pés se sentem cansados e doloridos, é normal, é uma situação diferente. Mas, se você se sente muito fraca, então é preciso mais exercícios para fortalecer os tornozelos e os pés. Converse com sua professora, ela saberá orientá-la melhor porque está mais perto e pode ver com maior cuidado, ok? Não desista, siga em frente, mas com saúde!

      Excluir
  19. Olá!tSou a kyrah e tenho 25 anos e moro em Portugal. Sigo a Cristo,sou crista evangelica pentescostal. Durante mt tempo não soube mt bem o que Deus tinha para a minha vida,quer dizer sabia mas tinha duvidas que alguma vez fosse possivel para mim devido as circunstâncias e eu passo a explicar. Sempre gostei de dançar,msm d forma inconsciente sem saber que dançar seria a minha maior paixão, os movimentos ja me saiam do corpo em harmonia com a musica. quando tomei a noção que seria isso que queria fazer,dançar, não era possivel, venho de uma familia africana humilde. O tempo passou, e com isso a idade avançou, e o corpo já não ajuda, não serei capaz, não vou consequir(e por vezes ainda penso)e a tristeza era grande.E sempre toda a gente a incentivar-m para ir para escola de dança, mas eu sempre cheia de medo pela minha idade de não ser capaz.e tb por questões economicas. Mas de um tempo para cá, Deus tem me dado forças e proporc ionado as coisas para que veja, que com Ele e com esforço serei a capaz e que a idade e uma mera barreira ultrapassavel, da msm forma o dinheiro para me formar. Ele voltou a afirmar isso novamente hoje, pois tava a procurar na net de posturas pa pés de bailarina quando dei de caras com teu blog, e vi que msm com a iade que tinhas, foste a luta e vences-te!mt Obrigada

    ResponderExcluir
  20. Meu sonho e subir na sapatilha de ponta mais infelismente ainda estou longe disto pois estou no BASICOIII

    ResponderExcluir
  21. É muito lindo :,)
    Mais quando meu professor força muito meu pé , ele da um dor insuportavel , dá vontade de chorar , eu tenho medo que isso seja um problema que eu tenha no pé e o mesmo me impeça de ser uma bailarina ..... Gente ore por mim , para que isso não seje nada ANORMAL , e que eu nunca saie do Ballet .............
    Beijoooooooooooos , Obrigadaaaaaa !!!!!!!!

    ResponderExcluir