quarta-feira, 23 de abril de 2014

A Dança Espontânea e a Liturgia Fechada


O Espírito Santo de Deus está fazendo algo único em nossa geração. De uns anos para cá, Ele tem movido, simultaneamente, pessoas em várias denominações, no mundo inteiro, a resgatar a arte perdida, para o louvor, a glória e a honra do nome de Jesus Cristo. E isso tem sido maravilhoso, graças ao nosso bom Deus.

Com isso, grandes responsabilidades estão vindo, e muitas vezes os ministros estão sendo chamados, capacitados por Cristo, e, pela falta de experiência (somos os primeiros ministros de dança em tanto tempo), acabamos por cometer alguns erros.

O Espírito Santo capacita, orienta, fala, move-se, e nos ajuda. É por isso que estou escrevendo este post específico sobre dança espontânea. Por causa da quantidade de emails relacionados a ela. Então, clique em Continue Lendo para ler o post inteiro.

Tenho percebido que a dança espontânea está perdendo seu foco principal e sua essência. E isso se dá por um simples motivo: a dança espontânea é espontânea. Eu não posso fechá-la dentro de uma caixa e mandar nela.


Infelizmente alguns líderes têm se fechado numa liturgia, onde a burocracia entrou para ficar. Na ânsia de organizar seus grupos de dança, a ESCALA se tornou uma ferramenta organizacional para o grupo, permitindo que todos possam participar, sem ter tanta gente fazendo tudo ao mesmo tempo, e sem privilegiar alguns poucos. Todos passam a ter chances iguais.

Mas perceba algo:

Eu não posso escalar alguém para ministrar espontâneo! Eu não posso chegar para alguém e dizer: hoje é sua vez de dançar espontâneo. Deus te abençoe.

Às vezes, aquela pessoa não está a fim de dançar espontâneo naquele dia. Está mal por algum motivo, ou simplesmente não está preparado para isso. E dançar espontâneo não é dançar contra a vontade, para cumprir tabela, para cumprir escala.

E talvez, naquele mesmo dia, alguém está com muita vontade, sentindo no coração o desejo de dançar, mas não irá, pois já foi no domingo anterior, e naquele dia não está NA ESCALA.

Veja que contradição!

A dança espontânea não pode estar dentro de uma ESCALA. Mas a oração prévia, o pedido de orientação do Espírito Santo pode indicar quem irá e quem não irá dançar naquele fim de semana. Se a dança for espontânea, é assim que deve ser. Talvez, naquele dia, o Espírito não queira muitas pessoas. Talvez Ele queira mover uma ou duas pessoas... ou até mesmo... NINGUÉM. Isso mesmo: ninguém. Talvez, naquele dia, seja o momento de CALAR, de ficar quieto, e ouvir, receber.

Quem disse que TEM QUE TER DANÇA TODO DOMINGO?


Outro ponto que quero destacar é: A dança espontânea é quando o Espírito Santo se move em você, e a adoração com palavras não é mais suficiente, e você quer se mover também. Por isso é espontânea. Se você não está sentindo o Espírito te levar, porque dançar? Vai ser só um monte de passos que você se lembra na hora...

O fato de você não se sentir pronto naquele momento, não significa que você está longe de Deus, ou que não tem intimidade com o Espírito. Significa apenas que naquele momento não é o momento para você. Aquiete-se. Ouça. Sinta, e louve, com a voz, com a oração, com as mãos. Fique no seu lugar.


Para algumas meninas, dançar espontâneo é um castigo, dá vontade de chorar, de correr, de não aparecer. E algumas chamam de SACRIFÍCIO DE LOUVOR.

Para essas eu digo: este sacrifício é o que a Bíblia chama de SACRIFÍCIO DE TOLOS.

Deus não quer o seu sacrifício. Jesus já se sacrificou por você. Deus quer tua adoração genuína, teu louvor de coração, pois louvor, adoração, é tudo oferta a Deus. Deus não quer sacrifício, Deus se agrada de CORAÇÃO CONTRITO.

Se o seu coração não está naquela dança, seu sacrifício é um sacrifício de tolo. E Deus não vai receber. Então, para quem você está fazendo? Para sua líder? Para o pastor? Para as pessoas?


Líderes, atentem para seus liderados!

Não aja com falta de sabedoria!

A dança espontânea precisa ser trabalhada no coração dos ministros para que possa ser dançada. Antes de mais nada, o ministro precisa entender que ela vem do Espírito. E que é preciso estar com muita vontade.

Em primeiro lugar, algumas pessoas que nunca tiveram contato com a dança espontânea têm dificuldades, pois nem ao menos conhecem o próprio corpo para dançar, e quais as possibilidades dele. Às vezes a pessoa não tem alongamento suficiente para fazer o que uma bailarina faz, mas conhecendo os limites do corpo e até onde suas articulações e combinações podem ir, facilitará e deixará o ministro mais livre para dançar.


A dança espontânea não é o ministro ser TOMADO PELO ESPÍRITO E fazer os movimentos como se ESTIVESSE POSSUÍDO. Isso é possessão.

Dança espontânea é você, MINISTRO, ser IMPELIDO pelo Espírito a se mover em adoração, SEM PRÉVIA COREOGRAFIA, porque o Espírito te impeliu NAQUELE MOMENTO, e você quis se mover, porque louvar somente com a boca se tornou INSUFICIENTE.

Mas não significa que você virará um BONECO ou um FANTOCHE nas mãos do Espírito. Você escolhe na hora os movimentos, a partir do sentimento que tem no momento. Se você sentir vontade de erguer as mãos, abaixar o tronco, deitar-se, ficar de pé, curvar-se, girar... enfim. O Espírito te impele, você escolhe o movimento.

A diferença é que tudo é feito espontaneamente, sem prévia coreografia.

Então, líder, pare de ESCALAR quem vai dançar espontâneo! Deixe que as pessoas se ofereçam. E se naquele dia ninguém se oferecer, é porque o Espírito não quer ninguém dançando. E deixe estar assim. É melhor.

Às vezes, é melhor se calar, e não haver precipitação (Eclesiastes 5:2).


Muitas vezes a ministração espontânea surge dias, semanas, meses antes dela acontecer. Surge no coração do ministro. O Espírito incomoda, mas a pessoa ainda amadurece a ideia.

Sabe, já faz alguns meses que o Espírito Santo está me incomodando com uma ministração profética espontânea específica. Mas ainda não realizei. Porque ainda não é chegado o momento.

Isso varia de pessoa para pessoa. Não é preciso forçar nada. Ela vai acontecer naturalmente.

Existem capacitações e técnicas para ministrar espontâneo. Eu mesma ministro uma capacitação voltada para a adoração com dança espontânea. É algo sério, que precisa ser levado a sério. Não deve ser feita de qualquer maneira.

Eu entendo que o Espírito incomode a dançar espontâneo. E por isso o líder quer que todos passem por essa experiência. Mas é necessário que líderes e ministros possam compreender que todos têm ritmos diferentes, e que precisam conhecer a si próprios, como templos e como ministros, para poder irem à frente e dançar espontaneamente. Em primeiro lugar, tem que haver a "coisa espontânea", senão não é espontâneo!


A oração é a base de tudo. Principalmente da ministração espontânea. Converse com os ministros sobre isso. E comecem a ministrar nos ensaios. Tenham um momento só do grupo, para orar, louvar, adorar, e quem desejar, dançar, sem se preocupar com quem estará olhando. Apague as luzes para cada um ficar à vontade. Incentive os ministros a fazerem o mesmo diariamente em seus momentos a sós com Deus. E quando eles sentirem-se à vontade e prontos, eles irão ministrar diante da igreja.

E então o Espírito agirá, e se moverá no meio de vocês, e muitas coisas acontecerão!

Você crê nisso?

Deus te abençoe!


Espere! Você gostou da postagem? Então dê uma olhada no material feito por mim que está disponível para você e seu ministério!














Clube de Autores     -     Loja Dança Cristã     -     Livraria Cultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário