terça-feira, 1 de abril de 2014

Aconselhamento Nº 01

Gente, lembra que um tempo atrás eu coloquei uma guia aqui no blog para aconselhamento? Pois é. Algumas pessoas entraram em contato comigo através do email, e me pediram conselhos sobre vários assuntos. Eu disse que alguns eu colocaria aqui, porque o problema pode ser recorrente, e ajudar outras pessoas a verem o que está acontecendo e perceberem que "não é só com você". Por isso, vou postar alguns dos aconselhamentos aqui, suprimindo nomes de pessoas, cidades, igrejas e ministérios para preservar cada um.

Para visualizar, clique no "Continue Lendo".




Email recebido:

"Querida irmã Débora,

Saiba que há muito tempo procuro um blog que me ajude em minhas dúvidas com relação ao ministério de dança, e pela misericórdia do Senhor, eu consegui encontrar o seu blog. Parabéns pelo trabalho que você faz, que Deus te abençoe e te sustente cada dia mais e mais.

Eu faço parte do grupo (suprimido nome) há mais de cinco anos, porém durante esse tempo eu tinha uma líder que mantinha uma relação legal com as meninas do grupo, mas eu não conseguia desabafar com ela porque eu ficava muito travada, com vergonha dela. Aconteceram alguns problemas e ela teve que sair, então ficamos pouco mais de um ano sem líder. Coreografias que antes fazíamos em uma semana, passamos a demorar meses e nada nunca estava bom o suficiente, sempre dava errado alguma coisa, e, enfim, durante esse tempo, fizemos no máximo cinco músicas."

Minha resposta: Você não conseguia desabafar com ela porque, como você mesma disse, ficava muito travada, com muita vergonha dela. A princípio, isso não me parece algo tão ruim, afinal de contas, a gente não desabafa com qualquer um. É preciso ter afinidade com a pessoa. A partir do momento em que você a enxerga como sua líder eclesiástica, então isso tudo passa a ser de outra forma. Um líder ministerial tem que estar pronto para ouvir seus liderados, sem julgá-los, e entender seus pontos para poder aconselhá-los. O dom do aconselhamento não é dado a todos, mas, geralmente, Deus deixa uma porção deste dom a cada um dos seus chamados à liderança. Mas é um dom que tem que ser exercido para ser aperfeiçoado. Ou será apenas um dom enterrado.

Bom, vocês ficaram um ano sem líder. Nesse período, fizeram cinco coreografias, sentiram que algo estava errado, que nada estava bom o suficiente. Porque esse era o tempo de arquitetar. Há o tempo de falar, o tempo de ouvir. Vocês ministraram e ministraram. Deus retirou o líder para colocar outro. Era o tempo de parar de ministrar aos outros e receber de Deus, se preparar.

Continuação do email:

"Percebemos que o problema era falta de oração. Então, começamos a orar e Deus enviou uma líder maravilhosa, atenciosa, com quem eu me dou muito bem e consigo desabafar. Ela me dá muitos conselhos, principalmente agora que passei por uma situação muito chata (suprimido)."

Minha resposta: Veja bem: perceberam que o problema era falta de oração, então Deus mandou uma líder maravilhosa. E ela está pronta a ouvir. Era preciso passar por um período para entender a vontade de Deus. É preciso parar de falar para se ouvir a voz de Deus. Se aquietar e escutar, saber o que Deus quer.

Continuação do email:

"Débora, eu amo louvar ao Senhor através da dança, mas infelizmente não sou nenhum pouco criativa. Toda semana nós dançamos espontâneo na igreja na hora do louvor e já teve momentos de eu chorar para não dançar, não porque eu não queria, mas porque eu não conseguia. Todos me olhando, as meninas dependendo de mim para me seguir... (...)"

Minha resposta: Ninguém é obrigado a saber de cara como dançar espontâneo. Não é assim que as coisas acontecem. E não é também um bicho de sete cabeças. Há algum tempo, tinha um grupo inteiro de uma igreja que queria dançar espontâneo mas ninguém sabia como. Me convidaram para uma capacitação, e a líder me falou dessa dificuldade. Fizemos uma capacitação na igreja com cerca de 20 jovens e mais algumas crianças (acima dos oito anos). Foi incrível. Todos eles, inclusive os que tinham mais dificuldade, dançaram espontaneamente, conhecendo o próprio corpo e o que conseguia fazer, dentro da limitação de cada um, mas foi uma coisa linda de se ver. A líder disse que havia pessoas extremamente tímidas e com muita dificuldade, que ela estava vendo ali, dançar com prazer, um prazer que vinha da alma.

Continuação do email:

"(...) eu terminava de dançar e ficava frustrada porque quando terminava o culto, nós íamos conversar, e todos sempre falavam de uma menina do grupo (nome suprimido), e diziam que ela dançava muito bem, que era muito boa, e todos os papéis principais (nas peças) era ela que fazia, e ainda hoje faz. Minha irmã, eu me sinto muito triste.

Eu já conversei com minha líder a respeito de minha falta de criatividade, eu perguntei se lá era realmente o meu lugar, porque ninguém nunca tinha problemas com isso, sempre eu, a mais tímida. Até no grupo de louvor sou assim, às vezes colocam meu microfone no volume máximo e não me ouvem. Eu realmente tinha medo de não estar fazendo a vontade do Senhor, mas depois que falei com minha líder, isso melhorou. Mas, infelizmente, minha inveja só piora, só cresce. Débora, eu não quero isso pra minha vida.

Eu tenho inveja porque uma menina dança mais, porque a outra é mais bonita, porque a outra é mais magra, e eu me vejo como a diferente do grupo. Me ajude!

(Parte suprimida por conter informações detalhadas que serviriam de identificação). E eu Senhor? Eu não to como queria, mas eu tô orando mais, me consagrando mais, buscando fazer a tua vontade a cada dia da minha vida e as pessoas nem dizem um 'foi legal' pra mim?"

Minha resposta: A coisa está caminhando para o lado errado aqui, minha irmã. Em primeiro lugar, a dança espontânea não vem de nossa própria capacidade criativa, mas do Espírito Santo. Se você não se sente criativa para dançar é porque seu foco está voltado para o lado errado. Dançar, no mundo, requer muita dedicação, técnica e ensaios exaustivos. Dançar para o Senhor tem um toque a mais: o Espírito Santo. Ele é o foco. O resto é complemento que vai te ajudar a alcançar teu foco. Primeiro, você tem que consertar isso dentro de você: o teu foco.

Oração, jejum, adoração... mas há uma coisas que você precisa fazer com urgência.

Você fala de uma menina de seu grupo. Eu reconheço exatamente o que você está passando porque eu sofri com a mesma coisa. Uma menina do grupo, com corpo de bailarina, alongamento e elasticidade naturais, postura, magra, bonita, etc, etc. E mais: consagrada, adoradora. Eu sentia inveja das mais puras. E ela confiava em mim, minha irmã. Desabafava comigo e eu me sentia numa posição muito delicada, pois eu sabia que o sentimento era errado, mas eu não podia evitar.

Satanás usa situações criadas com os próprios servos de Deus para nos fazer cair. É preciso estarmos firmes na Rocha e pedir auxílio do Senhor, porque Ele quer nosso bem.

Com esta minha experiência, te passo o que aconteceu comigo para que você possa se livrar disso.

Esse sentimento é pecaminoso, vem de dentro do coração do homem, da nossa carne. Satanás usa isso, atiça, aviva, para nos tirar o foco de nosso ministério. Então, o que acontece? Você passa a não acreditar que sua oração chega aos céus, porque seu coração e seus pensamentos estão com inveja enraizada. Os julgamentos são inevitáveis, pois passamos a olhar para os outros e outra forma. Nossa dança, ou qualquer outro ministério, não flui como deveria, pois estamos cheios de escuridão, e não de luz.

Foi apenas uma brechinha, pequenininha, que Satanás usou pra entrar na sua vida. Lá, ele foi tomando espaço e ficando maior, maior, maior.

Quebre isso, irmã!

1. Entre no seu quarto, sozinha, peça para não ser interrompida, pois será seu momento a sós com Deus.

2. Ore. Peça perdão a Deus pelos seus sentimentos em relação a esta moça, peça a Deus que a perdoe pela inveja, por querer tanto ser como ela em diversos momentos. Peça a Ele perdão por querer recompensas que não são do alto, pois a glória não é para ti, é para Deus. Peça perdão a Ele por mudar seu foco, por se deixar levar por tudo isso.

3. Em voz alta, diga: "Satanás e seus anjos, vocês que usaram de minha carne e minha inveja para invadir meu coração nessa área e tentar dominar minha vida, vocês estão amarrados EM NOME DE JESUS. Pega tudo o que é teu e sai de minha vida. Em nome de Jesus. Amem."

4. Peça a Deus para limpar sua vida, de toda a podridão deixada, e libertá-la da inveja. Peça a Ele que feche a porta pela qual entraram, e agora, saíram, e que Ele a sele com o sangue de Jesus, para que não voltem mais.

5. Louve. No meio dos louvores Deus habita. Adore ao Senhor. Dance se tiver vontade. É o seu momento com Ele. Ninguém está olhando, só o Senhor. Não se incomode em pensar os movimentos, apenas sinta a música e se deixe levar pelo que sente. A dança espontânea é a adoração genuína do Espírito Santo em nosso corpo. Deixe-se levar pela alegria da libertação. E agradeça a Deus pela libertação de sua alma.

6. Procure outras coisas que Deus precise te libertar, este é o momento. Peça a Deus para trazer à sua memória tudo o que não está agradando a Ele e que Ele queira tirar de sua vida. E Ele vai te lembrar, coisinha por coisinha, tenha certeza. Esteja preparada para ouvir, pois estar na RODA DO OLEIRO não é fácil, mas é NECESSÁRIO. E faça tudo de novo, para retirar as pedrinhas que ainda estão escondidas.


Continuação do email:

"Eu realmente to tentando me livrar desse sentimento por isso eu to buscando mais mesmo, orando, mas eu sei que eu posso fazer mais, e agora eu ando sentindo fortes dores nos ombros, eles pesam demais, parece que algo me empurra para baixo o tempo todo, às vezes fica difícil andar, e eu não consigo falar com minha mãe, porque ela não consegue me ouvir sem me julgar. Essas dores têm sido constantes, e eu tenho orado pedindo a Deus pra me dizer o que eu devo fazer e porque eu to sentindo isso, mas parece que Deus não me ouve ou não me responde, não sei.

Débora, por favor, me ajude. Me diz o que devo fazer pra não ficar mais assim. Essas dores são o quê? Minha líder falou que é o peso espiritual e que o Senhor está querendo me dizer algo. Quem sabe Ele queira me levantar como coluna no meu lar. Mas eu penso dessa forma: minha mãe busca bem mais do que eu, ora bem mais que eu, por que o Senhor me escolheria?

Me desculpe por tomar o seu tempo, minha irmã, mas é que realmente eu preciso de ajuda. Que o Senhor te ilumine e te dê mais sabedoria vinda dos altos céus."

Minha resposta: Deus está te chamando para conversar com Ele, para fazer uma faxina na tua vida. Limpar nunca é fácil, porque sempre dói.

Sim, é possível, claro, que um pecado se torne tão grande em nosso coração que se reflita em dores físicas. Lembra-se do Rei Davi? Leia o Salmo 51. Ali ele fala de dores físicas que teve, em consequência de seu pecado. Ele disse que seus ossos envelheceram por seus constantes gemidos todos os dias. Você sente um fardo nas tuas costas. Você se sente pesada. Irmã, peça a Deus que te livre disso. Você vai sentir-se muito mais leve, pois o fardo de Cristo é leve e suave.

"Por que o Senhor me escolheria?"

Porque Deus não escolhe as melhores pessoas. Quando foram escolher o discípulo que substituiria Judas Iscariotes, eles lançaram sortes sobre duas pessoas. Um era conhecido como José, o justo, e tinha muitos predicados, muitos adjetivos. Uma pessoa conhecida na sociedade da época. E o outro era simplesmente Matias, ninguém sabia nada sobre ele. Uma pessoa que não era conhecida. E quando lançaram sorte, não uma única vez, mas outras vezes, sempre caía em Matias.

Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os chamados. O próprio rei Davi. Se fosse Samuel a escolher o rei de Israel, ele teria escolhido um de seus outros irmãos: altos, fortes, robustos, militares.  Mas Deus não escolhe pela aparência. Ele escolheu Davi, o filho mais novo, ruivo, franzino, que cuidava de ovelhas e gostava de música...

Deus quer transformar você e torná-la algo mais. Deus tem um plano na tua vida, e NÃO É PLANO DE DERROTA. É plano de VITÓRIA. Mas você precisa, primeiro, desse momento de faxina. Ir para a RODA DO OLEIRO, deixar-se ser amassada, quebrada, moída, e então, ser reconstruída à vontade do Pai. Estás disposta a isso?

Você precisa, realmente, de oração. O crente vive constantes batalhas espirituais. Somos soldados espirituais. Ainda mais quando exercemos um ministério. Estamos em constantes lutas, as quais nem sabemos, por estar num plano espiritual que não enxergamos. E qual o alimento espiritual que irá nos deixar fortes para a batalha?

Bíblia. Oração. Deus. Nada mais.

Irmã, ore, jejue, peça a Deus para libertá-la, expulse os demônios escondidos e alojados em sua vida que a fazem sentir essa inveja. Limpe a casa, e tu verás como as coisas vão melhorar.

Eu costumo dizer que somos TROMBETAS DE DEUS. Deus fala através de nós. Ele sopra em nós e, do outro lado, o sopro de vida abençoa outras pessoas, mas antes, abençoa a nós mesmos, passando por dentro de nós. Se estamos com a vida obstruída, como o sopro de Deus nos lavará e alcançará o outro lado?

E quem pode nos limpar?

Somente Deus. Somos fracos para este trabalho. O nosso trabalho é retirar a pedra do sepulcro. O trabalho de Deus é ressuscitar o que está morto em nós e nos limpar. Deixe Deus trabalhar em tua vida, remova a tua pedra. Ajoelhe-se e ore, entregue essa área de tua vida nas mãos do Senhor e deixe que Ele faz o resto.

Deus te abençoe.



Nenhum comentário:

Postar um comentário